Você sempre sonhou em viver fora do Brasil ou começou a pensar em novas possibilidades de carreira no exterior? Independentemente do seu perfil, você precisará de certo nível de inglês. Afinal, esse é o idioma universal, que pode facilitar sua comunicação em qualquer lugar do mundo.

O problema é que um nível de inglês básico não ajudará muito na hora de procurar uma nova oportunidade profissional. Até em alguns intercâmbios de ensino médio, é desejável ter um nível intermediário no idioma. Para viver e trabalhar em outro país, um alto nível de inglês pode ser fundamental.

Acompanhe a seguir algumas considerações sobre o nível de inglês para quem deseja encarar uma vida fora do país.

A vida fora do Brasil

Nos últimos anos, a crise econômica mundial mostrou ainda mais as vulnerabilidades do Brasil como uma nação em crescimento e ainda frágil em muitos aspectos. Muitas pessoas passaram a cogitar uma vida fora do país como uma maneira de conseguir melhores oportunidades e outras experiências. 

O número de brasileiros em Portugal, por exemplo, cresceu 43% somente em 2019. A familiaridade com a língua é um motivo facilitador, sem dúvidas. Mas muitas pessoas desejam ganhar a vida nos Estados Unidos, no Canadá, na Austrália e em outros países de língua inglesa.

E isso é tão verdade que um programa de intercâmbio bastante famoso é o Au Pair, cujo trabalho principal é cuidar das crianças da família anfitriã. Para jovens que entram no programa, há o desejo de melhorar a fluência em inglês, mas muitos apresentam somente inglês intermediário.

Quando se trata de ingressar de fato no mercado de trabalho estrangeiro, e não só uma experiência de intercâmbio, a coisa muda de figura. Basicamente, quanto melhor for seu nível de inglês, melhor para você e para todo mundo.

Até mesmo no caso do Au Pair, a família se sentirá mais segura, porque você conseguiria resolver situações comuns do dia a dia, como se comunicar com médicos e autoridades públicas, fazer amizades com facilidade, interagir melhor com as crianças, dentre outras atividades.

Seja para fazer intercâmbios ou para entrar no mercado de trabalho estrangeiro, o nível de inglês será muito importante. Porque sabemos que uma mudança tão brusca já trará outras muitas dificuldades, como ficar distante de família e amigos, lidar com uma cultura completamente diferente, dentre outros pontos. Saber inglês bem tornará tudo muito mais fácil e confortável.

O nível de inglês ideal para se dar bem fora do país

Você possui um grande objetivo, que é trabalhar fora do Brasil. Primeiro, pensa em Portugal ou em outro país de língua portuguesa devido à proximidade. Em seguida, cogita os países de língua espanhola, porque pode ser um aprendizado mais fácil. No entanto, para não limitar suas oportunidades profissionais, o ideal é ter um nível de inglês intermediário ou avançado. 

Isso porque grandes empresas ao redor do mundo, e não só nos países de língua inglesa, têm programas de captação de talentos de qualquer nacionalidade. Mas um alto nível de inglês é exigência básica, pois será sua forma de comunicação nos primeiros meses, até aprender o idioma local (se for o caso).

E por que alto nível de inglês? Porque quanto maior o nível de inglês, maior o interesse das grandes companhias. É isso que aponta o Índice de Proficiência em Inglês da EF de 2020. Existe uma relação entre o nível de inglês e os cargos mais altos de uma organização.

Em primeiro lugar, grandes empresas exigem que seus profissionais estejam conscientes sobre as melhores práticas internacionais de seu campo. Dessa forma, elas acreditam que a proficiência em inglês possibilita a exploração de talentos e conhecimentos.

Há também uma crença (correta) de que um alto nível de inglês é fundamental para a capacidade de adaptação, principalmente considerando que, nos dias atuais, ninguém permanece em um único emprego durante décadas.

O estudo da EF também aponta que “o desenvolvimento da proficiência em inglês em todos os níveis de carreira poderia permitir um compartilhamento de informações mais rápido nas organizações e um acesso a talentos mais diversificados”.

Por fim, demonstra que, diante da escassez e da valorização das habilidades em inglês, quem possui um alto nível de inglês é frequentemente promovido a cargos gerenciais.

Em outras palavras, um alto nível de inglês é essencial para que você consiga boas oportunidades fora do Brasil. Um nível intermediário pode até ser suficiente para o início, mas a progressão na carreira dependerá também do seu desenvolvimento no idioma. 

Para entender entender melhor essa questão e saber como se preparar para encarar uma vida fora do país, vale destacar os níveis de inglês conforme o Quadro Comum Europeu (QCE).

Níveis conforme o Quadro Comum Europeu

Existem três níveis de perfil conforme o QCE: perfil básico (A1 e A2), perfil independente (B1 e B2) e perfil proficiente (C1 e C2).

Perfil básico

O nível A1 é um nível iniciante, em que a pessoa entende e utiliza frases básicas e expressões familiares de rotina. O objetivo é resolver necessidades concretas, mas a interação é sempre básica.

O nível A2 está um pouco acima do A1, e a pessoa é capaz de entender construções mais relevantes, como família e informações de emprego. As tarefas rotineiras que demandam troca de informações são compreendidas. 

Estes são os níveis mais comuns no Brasil, mas não ajudarão quem deseja sair do país e trabalhar fora.

Perfil independente

O perfil independente faz as atividades básicas do nível básico, mas também é capaz de ler e escrever. Eventos, ambições, sonhos, explicações breves e motivos de opiniões e planos fazem parte do aprendizado de quem está no nível B1. A pessoa lida com boa parte das situações em um país de língua inglesa durante uma viagem.

O nível B2 já consegue produzir textos detalhados sobre vários assuntos, demonstrando pontos de vistas, vantagens e desvantagens. Sua compreensão sobre textos complexos também é boa, e a pessoa interage com um grau suficiente de fluência e espontaneidade sem muito esforço.

Com este nível de inglês, é possível encontrar boas oportunidades de trabalhar fora do Brasil. No entanto, será necessário continuar o aprimoramento do inglês para se tornar fluente, que é o perfil proficiente.

Perfil proficiente

O perfil proficiente pode ser C1 ou C2. 

O C1 compreende e produz vários textos complexos e significados implícitos, com boa estrutura (padrões organizacionais, instrumentos de coesão e conectores) sobre diversos assuntos. Sua expressão é fluente, flexível e espontânea, seja em fins sociais, profissionais ou acadêmicos. O usuário C2 é o mais fluente em inglês. 

Com qualquer um destes níveis, você será capaz de encontrar excelentes oportunidades de trabalho no exterior e crescer no mercado de trabalho futuro.

Exames e certificações

Para demonstrar que você possui um bom nível de inglês, é comum que as empresas estrangeiras exijam um certificado que comprove seu grau de conhecimento. Para consegui-lo, é preciso se submeter a exames complexos aceitos internacionalmente. São os exames do Cambridge Assessment English (CAE), oferecidos em 130 países.

Quem deseja trabalhar fora do Brasil não pode se limitar a obter uma certificação A2 Key, que é de nível básico de inglês. Será preciso se submeter a exames de nível intermediário ou avançado. São eles:

  • B1 Preliminary (nível intermediário): o Preliminary English Test comprova que usuário consegue utilizar suas habilidades na língua inglesa para interação cotidiana;

  • B2 First (nível pós intermediário): o certificado aceito em programas de Bolsas de Estudo no exterior, o Cambridge English First avalia as quatro habilidades linguísticas (leitura, escrita, escuta e fala) e atesta que o usuário consegue acompanhar apresentações em inglês, participar de viagens e reuniões de trabalho, escrever relatórios, dentre outras atividades;

  • C1 Advanced (nível avançado): reconhecida em universidades, empresas e órgãos governamentais ao redor do mundo, comprova a aptidão avançada do usuário em todas as habilidades requeridas no trabalho;

  • C2 Proficiency (nível extremamente avançado): além de incluir todas as habilidades anteriores, comprova que o usuário é fluente em língua inglesa.

A preparação é a chave do sucesso

Você é do tipo que se planeja para conseguir atingir um objetivo? Pessoas que têm algum grau de organização na vida pessoal e profissional adotam o planejamento para visualizar as ações necessárias para atingir uma meta.

E elas sabem que a preparação é algo fundamental. Você pode até desejar muito trabalhar em uma grande multinacional fora do país, mas está pronto para isso?

O alto nível de inglês, como demonstramos, é um dos requisitos importantes para quem deseja se dar bem fora do Brasil. Por isso, a preparação em uma boa escola de inglês é de imensa importância. Conseguir as certificações Cambridge demandam bastante conhecimento e estudo por parte do aluno.

Uma boa preparação depende diretamente do método de ensino da escola. Ela também deve estar voltada para atingir o seu objetivo. De nada adianta ter uma instituição renomada se ela possui métodos tradicionais e rígidos, que não se adequam às metas de seus alunos.

Portanto, se você deseja fazer uma boa preparação para os testes de nível de inglês, saiba escolher uma boa escola de inglês.

Boa parte das escolas de inglês brasileiras levam o aluno somente ao nível A2 (usuário básico). Isso explica o motivo de termos tantas escolas, mas poucos proficientes no idioma. Além disso, o estudo da EF aponta que muitos países também não têm professores de inglês suficientemente qualificados. 

A história é outra no Centro Britânico, a começar pela contratação de professores extremamente qualificados, com no mínimo nível C1. Com um corpo docente de alto nível de inglês, que ocupam o topo de seu mercado de trabalho, é possível formar alunos capazes de encarar uma vida fora do país, certo? 

Nossos professores obtêm aconselhamento sobre o ensino do inglês fluente e eficaz e compartilham as melhores práticas.

A escola preza por um ensino qualificado de inglês, com método eficiente e focado no objetivo dos alunos. Não à toa, todos os estudantes do Centro Britânico atingem o nível C1 ou C2 do Quadro Comum Europeu. Em 51 anos de história, formamos mais de 40 mil pessoas nestes níveis. E tudo devido ao método de ensino.

Método de ensino do Centro Britânico

O Centro Britânico trabalha com professores de alto nível, como acabamos de mencionar. Mas bons professores não são suficientes para formar alunos capazes de se destacarem no mercado de trabalho fora do país. É preciso aliar bons profissionais ao estudo contínuo do idioma e a uma escola comprometida com o ensino e com o sucesso do estudante.

Por isso, no Centro Britânico, desenvolvemos um método de ensino focado nos objetivos dos alunos, personalizado e voltado para a fluência em inglês. O perfil e a motivação de cada um são levados em consideração na hora de desenvolver as aulas.

Afinal, são pessoas que precisam de preparação suficiente para conseguir as certificações dos exames de proficiência mais exigentes do mundo, que são os exames do Cambridge Assessment English.

E como é o método de ensino do Centro Britânico? Considerando o aprendizado da faixa etária de quem deseja morar fora do Brasil, nos baseamos em comunicação. Ou seja, o aluno pode frequentar outras atividades que utilizam inglês fora de aula. Também colocamos o aprendizado individualizado no centro do método, porque é exatamente isso que garante sua eficiência.

Portanto, temos 4 principais pilares em nosso método de ensino: 

  1. Áreas de interesse do aluno: pensando no mercado de trabalho, o aluno pode querer abordar seus assuntos profissionais. Seja na ciência política ou na tecnologia, na cultura ou na engenharia, o Centro Britânico considera as áreas de interesse do aluno para promover engajamento e despertar o interesse.

  2. Forma que o aluno gosta de aprender: os professores do Centro Britânico abordam seus alunos com meios que fazem sentido para ele, como vídeo, livros ou aplicativos.

  3. Nível linguístico: as turmas são formadas de acordo com idade e nível de inglês, de modo a balizar o ritmo de aprendizado por cima.

  4. Objetivo do aluno: a ideia central é morar e trabalhar fora do país, então o ensino será focado nestes objetivos.

 

Para encarar uma vida fora do país, é preciso ter um alto nível de inglês. As empresas ao redor do mundo buscam talentos com essa habilidade no idioma, pois facilita a adaptação e a interação com os demais. Para provar às organizações sua fluência na língua inglesa, será preciso se preparar para fazer os testes e obter o certificado.

Que tal conhecer mais sobre o método de ensino do Centro Britânico e ver como podemos ajudá-lo?

Comentários: