Com o fim do ano letivo (mesmo em home school), muitos pais se organizam para as férias dos seus filhos. Sem deixar de lado o objetivo principal desse período, que é o descanso, há grande procura por brincadeiras e atividades. 

Atualmente, temos uma gama enorme delas que, além de divertir, mantêm as crianças produtivas. Afinal, os filhos podem continuar aprendendo e praticando aquilo que absorveram ao longo do ano na escola de forma diferente. É ótimo para o desenvolvimento deles!

Pensando nisso, separamos algumas ideias para você e seus filhos terem férias produtivas e divertidas ao mesmo tempo. Confira!

A importância de aproveitar bem as férias

As férias são o momento para que todos recuperem as forças e renovem as energias. O descanso é um grande aliado da produtividade, seja para adultos ou crianças. Por isso, devemos sempre ter em mente, durante a rotina, a alternância entre momentos de lazer, descanso e trabalho ou estudo.

No entanto, é possível ter férias produtivas. Isso significa utilizar o tempo para realizar atividades que contribuem para o desenvolvimento pessoal, acadêmico e profissional. É possível, assim, conciliar diversão e aprendizado.

Quando falamos de crianças, aproveitar bem as férias também pode ter esse sentido. Existem muitas atividades e jogos educativos que auxiliam no desenvolvimento de crianças e adolescentes. 

Nesse período em que estão afastados das escolas, essas ferramentas podem ser muito úteis para que os filhos se mantenham ativos, física e mentalmente. Enquanto as brincadeiras e outras atividades lúdicas prendem a atenção, outros jogos estimulam o raciocínio.

Aprender inglês, por exemplo, pode ser bem mais divertido durante as férias. É um aprendizado que será mais prazeroso, porque não há compromisso com o desempenho. É um ensino mais tranquilo, e os pais podem desempenhar um ótimo papel. 

Assim, na volta às aulas, os filhos estarão descansados e mais motivados para aprender coisas novas. Por isso, ter férias produtivas é bastante importante. Mas como fazer isso? Listamos abaixo algumas práticas para suas férias com seus filhos!

Algumas práticas para deixar as férias produtivas

Proponha brincadeiras adequadas para a idade

Para tirar o melhor das férias e realmente promover o desenvolvimento, os pais devem pensar em brincadeiras adequadas para a idade dos filhos. Um conteúdo qualquer pode ser muito e relevante e pertinente para uma criança de 5 anos. No entanto, pode sequer fazer sentido para um pré-adolescente.

Portanto, o primeiro ponto que deve ser observado pelos pais é a idade dos filhos. A seguir, falamos de algumas brincadeiras para crianças conforme a idade. 

Crianças de educação infantil e fundamental

Existem suportes que são muito adotados nas escolas de educação infantil e fundamental, já reparou? Cartolina, papel craft, tela de pintura, jornais e revistas, caixas de papelão, folhas secas e isopor estão sempre presentes. 

O motivo é bem simples: desenhos e pinturas com mãos, pincel, esponja, giz de cera, rolha, lápis de cor e canetinha. Essas são atividades excelentes para as férias, porque despertam a criatividade e a concentração, além de auxiliar a experiência motora.

No mesmo sentido, os pais podem misturar elementos, como água e tinta, colagem em folhas, para observação das crianças. Algumas misturas inclusive servem também para desenhar ou pintar, e até mesmo para explorar sensações e observar efeitos.

Para quem deseja aprimorar a organização e estimular o aprendizado sobre gestão de tempo, escrever a rotina do dia e fazer um calendário é uma atividade prática e simples que trabalha muitas habilidades da criança. 

Outras inúmeras opções também aparecem para ter férias produtivas. São elas:

  • Construir cenários com lençol, caixas de papelão, roupas e outras coisas (formar cabaninhas, castelos etc.)

  • Imitar animais e sons de meios de transporte e eventos climáticos;

  • Explorar a “percussão corporal” ou com objetos;

  • Fazer caretas na frente do espelho.

Crianças de todas as idades

Além das brincadeiras mais voltadas para crianças da educação infantil e fundamental, existem atividades e brincadeiras para todas as idades. Elas estimulam diversas habilidades em nossos filhos que podem ser cruciais na vida acadêmica ou profissional.

A criatividade, por exemplo, é bem explorada na encenação de histórias, na dança, na mímica, na música, na literatura e na escrita livre. São atividades relacionadas ao exercício cultural. 

Vale destacar que a criatividade é uma soft skills (habilidade conectada à inteligência emocional) extremamente valorizada no mercado de trabalho e acadêmico. Isso porque ela ajuda na resolução de problemas e na mediação de conflitos, e, claro, na inovação.

Além disso, existem brincadeiras que incutem nas crianças um maior senso de organização e colaboração. Ajudar os pais a cozinhar e a limpar a casa, brincar de telefone sem fio, fazer piqueniques com os alimentos cozinhados pelo coletivo são apenas alguns exemplos.

Por fim, podemos destacar também as brincadeiras que abordam conceitos matemáticos, que trabalham bastante a objetividade. Fazer uma planta ou maquete do quarto ou da casa utilizando diversos materiais, bem como medir os ambientes, objetos e pessoas com diversos meios (régua, trena, palmas, passos etc.) são algumas ideias.

Inclua as atividades livres no repertório das férias

Atividades livres e diversas também são ótimas para manter as férias produtivas. Elas trabalham inúmeros pontos cognitivos das crianças de acordo com a proposta.

Uma delas é a atividade que esconde objetos, como se simulasse um jogo dos 7 erros real. Pode ser uma brincadeira com toda a família, sendo mais aproveitada por crianças a partir dos 8 anos. Além de estimular a memória, trabalha a observação e a perspicácia.

Para brincar é simples: em um cômodo da casa, a criança escolhida deve observar todo o local antes de se retirar. Quando ela se retira, os demais mudam ou escondem 7 objetos. Ao retornar ao ambiente, a criança deve apontar o que mudou. Vocês podem dizer se ela está “fria” ou “quente” para ajudar!

No mesmo sentido, férias sem jogo da memória não é férias. Antigamente, existia o jogo “Cara a Cara”. Se você não se lembra dele, vale a pena colocar no Google pra se lembrar. Mas qualquer jogo da memória serve, especialmente aqueles que também estimulam o tato. Você pode dar vários objetos e pedir ao filho que escreva a sequência, pode utilizar cartas e tudo o que sua criatividade permitir.

Se quiser algo mais competitivo, para estimular atenção e agilidade, vocês podem brincar com a famosa (e antiga) dança das cadeiras. É uma atividade bem divertida, que envolve música e um espírito competitivo.

A grande vantagem das atividades livres é que elas podem ser criadas por todos juntos. Isso também faz com que as crianças desenvolvam competências de interação e colaboração.

Coloque a mão na massa

Massinha de modelar, massinha de geleia e diversos materiais podem tornar suas férias produtivas com seus filhos. Elas já podem ficar a todo vapor com tudo que mencionamos até agora, mas nada como colocar a mão na massa. 

Se muitos adultos utilizam o artesanato para relaxar, certamente os trabalhos manuais com a participação de crianças pode cumprir o mesmo objetivo. É quase uma “meditação ativa”, excelente para combater agitação e ansiedade, por exemplo. Em outras palavras, maior controle emocional.

Junte diversos materiais, forre o chão com plástico ou papel para evitar uma grande bagunça, e deixe as crianças à vontade para criar. Participe para incentivá-las e estimular a criatividade. 

Você pode, inclusive, aprender inglês nesses momentos. Alguns termos, como paint (pintura) e colored pencil (lápis de cor) já são conhecidos pelas crianças. Dependendo do que for objeto de criação, é possível ainda explorar o vocabulário com animais, estações do ano e outras palavras aprendidas no ensino de inglês infantil.

Está sem ideias para colocar a mão na massa? Veja algumas opções:

  • Boneco de neve feitos com tampinhas de suco (de caixinha), refrigerante ou outras bebidas, em um cenário pintado ou desenhado à mão, com o algodão representando a neve;

  • Bandeja sensorial (pode ser um prato com divisórias) que reúne grãos, pedras e outros materiais que possam criar um ambiente hipotético, para criar a própria história;

  • Mix de cores em uma tigela com leite, bastando adicionar duas gotas de corantes de diversas cores e, sem mexer, adicionar uma gota de detergente;

  • Roupa de mentira desenhada com canetinha em uma sacola de papelão, que pode ser vestida em seguida.

Não se esqueça das atividades para estimular o raciocínio

Se estamos falando de férias produtivas, devemos pensar nas brincadeiras e atividades que estimulam o raciocínio lógico.

Quando pensamos nessa abordagem, vem à mente inúmeros jogos de tabuleiro. De fato, eles são os “campeões” quando o assunto é desenvolvimento mental lógico. Você pode optar por comprá-los em lojas online ou físicas, mas muitos estão também presentes em aplicativos.

Quem não se lembra do Resta 1? Esse jogo é indicado para crianças a partir de 8 anos, mas agrada a muitos adultos até hoje. A ideia é mover as peças para o centro do tabuleiro, retirar os adversários até que sobre apenas uma peça e o ganhador. É ótimo para trabalhar estratégia e raciocínio.

Para crianças mais velhas, as férias são um bom momento para aprimorar o xadrez. Se você tem uma menina, vale a pena inclusive dar uma olhada na minissérie “O Gambito da Rainha”, original Netflix, que conta a história de uma jogadora de xadrez fora de série. Ótimo para estimular sua filha a desenvolver suas habilidades, mesmo em universos considerados masculinos.

O sempre adorado quebra-cabeça também entra nas atividades de raciocínio. Atualmente, existem vários temas e faixas etárias diversas. Basta escolher um para fazer essa atividade em família. Os estímulos mais evidentes são atenção, raciocínio lógico e reconhecimento de padrões. Como “troféu”, vocês podem emoldurar o quebra-cabeça em um quadro.

Por fim, dois jogos de tabuleiro que sempre dão o que falar: Batalha Naval e War. A indicação para crianças mais velhas e pré-adolescentes não vem à toa. São jogos de estratégia, que estimulam o raciocínio e muita competitividade. A ideia, afinal, é destruir o adversário!

Invista nos aplicativos

Para os pais que possuem crianças muito ligadas à tecnologia, existe um temor de que as férias possam ser momentos de imersão completa no celular, no tablet ou no videogame.

No entanto, é possível ter férias produtivas com esses equipamentos. Os aplicativos podem ser ferramentas de auxílio a atividades escolares, mas também lúdicas. Em alguns casos, exerce as duas funções. Se for para utilizar tablet ou smartphone, que seja para o próprio desenvolvimento.

Para quem gosta de aprender inglês, sabemos que a saída segura e viável a longo prazo é uma escola de inglês de qualidade. Mas o Duolingo é um aplicativo excelente para pré-adolescentes a partir dos 12 anos cujo objetivo é ensinar diversos idiomas. 

A didática é muito simples e auxilia a fixar o aprendizado adquirido durante o ano. Os exercícios de escrita, fala e audição são repetitivos e reforçam os conceitos. Ótima opção para uma férias produtiva.

Outro aplicativo interessante é o Passatempos Inteligentes, que traz diversas atividades lúdicas que estimulam concentração, pensamento lógico e memória. Jogos de adivinhação, concentração e quebra-cabeças são algumas opções.

Se seus filhos adoram desafios matemáticos, existe o aplicativo “Calculadora: O jogo”. Baseado em pensamento lógico e concentração, a ideia principal é propor a resolução de problemas matemáticos. Mas de forma divertida, criativa e interativa.

Lembre-se do inglês

Por fim, com o recesso escolar, muitos pais têm medo de que a falta de contato com o inglês prejudique o desempenho futuro dos filhos. Afinal, aprender inglês é uma prioridade atualmente. Mas além do aplicativo que mencionamos, é possível ter férias produtivas com atividades que utilizam o segundo idioma.

Na verdade, qualquer brincadeira ou atividade do dia a dia pode incluir o inglês de forma natural. Basta um good morning ou um bichinho na cor green para estimular as crianças a pensarem na situação utilizando o idioma.

Neste ponto, o estímulo dos pais é fundamental. Pense em cores (blue, yellow, red, black), formas (oval, circle, square, round), materiais (cotton, wood, plastic, glass) e tempo (sunny, rainy, cloud, warm, cold). Pense também em trabalhar estruturas fixas com esses temos, como What color is this ou What´s the weather like.

É simples aprender inglês? Não. Mas com uma escola qualificada e esse “reforço” nas férias produtivas, seus filhos ficarão mais confortáveis com o idioma.

Ter férias produtivas depende bastante da criatividade dos pais. Mas nossas dicas ajudaram bastante, certo? Coloque-as em prática e veja como seus filhos reagem a elas. Temos certeza que adorarão!

Comentários: