Você tem desejo de seguir a carreira acadêmica ou atingir um alto nível de formação para aproveitar outras oportunidades no mercado de trabalho? O inglês fluente será um grande aliado na sua formação, porque as inúmeras especializações superiores exigirão o conhecimento no idioma. 

A seguir, falamos sobre os tipos de pós-graduação no Brasil e a importância do estudo de inglês em cada uma delas. Acompanhe!

A importância do estudo de inglês nas especializações

As especializações superiores, como apontamos brevemente, são formas de alavancar sua carreira, seja acadêmica ou fora da academia. Mesmo quando o inglês fluente não é um requisito obrigatório para o currículo, ele será determinante para que você faça um curso excelente. 

E o motivo é simples: a produção de conhecimento internacional é publicada em inglês. Revistas acadêmicas, principais autores do seu campo de conhecimento, teses e outras publicações são sempre escritas em inglês. Não importa se o autor é francês, alemão, austríaco, japonês ou sul-africano. O inglês será a língua adotada na escrita das principais obras publicadas no mundo. 

No mesmo sentido, se você quer ter discussões acadêmicas atualizadas sobre seu objeto de pesquisa ou sobre as matérias dadas na especialização, precisará do inglês fluente para debater com outros colegas.

Por tudo isso, antes mesmo de se submeter à avaliação, nos casos das especializações stricto-sensu, pense se você tem o inglês fluente, porque será fundamental para entrar e se manter nos cursos.

Se você já fez um curso completo de qualidade em uma boa escola de inglês e está enferrujado, vale a pena pegar algumas aulas para este objetivo específico. Afinal, estudar é a única maneira de dominar uma língua estrangeira. 

Você pode, por exemplo, pegar algumas aulas específicas para ser aprovado no curso, caso já tenha feito um curso completo de qualidade em inglês. É o chamado Inglês Instrumental, sobre o qual falaremos adiante. Mas tenham em mente que você precisará entender a fundo as estruturas linguísticas do inglês ao longo das suas especializações.

Por isso, tenha em mente que seu estudo será constante ao longo dos anos. Na verdade, para ter inglês fluente, é fundamental ter contato com a língua com regularidade. 

Inglês para Propósitos Específicos (Inglês Instrumental)

O Inglês Instrumental, antigamente chamado de ESP (English for Specific Purposes), é voltado para profissionais que já possuem conhecimento em inglês, mas precisam ajustar esse conhecimento para sua área de atuação. As aulas de inglês instrumental são aliadas nos processos de aprendizado do idioma e são muito úteis para as especializações superiores.

Se você pretende fazer um MBA, por exemplo, deve estar ciente que o mundo corporativo tem vocabulário muito específico. Você já tem conhecimento das estruturas do idioma, mas precisa aprender as situações particulares daquele universo. Assim, o inglês instrumental focará na leitura e na conversação dentro desses temas para ajudá-lo em sua carreira. 

Seja qual for a especialização que escolheu, o inglês instrumental será fundamental para ajudá-lo na compreensão de livros e artigos estrangeiros. 

Tipos de pós-graduação no Brasil

O Brasil possui dois tipos de pós-graduação: lato-sensu e stricto-sensu.  

A graduação lato-sensu é focada no mercado de trabalho. Seus dois tipos são as especializações e o MBA (Master Business Administration). 

As especializações, como falaremos adiante, são cursos voltados para aprofundar em uma área específica. Se você pretende ser um especialista no seu ramo de atuação e ter mais um diferencial em seu currículo, é uma ótima ideia.

Já o MBA é focado no mundo corporativo, motivo pelo qual é mais interessante para profissionais que atuam neste meio. A graduação stricto-sensu já possui um foco mais acadêmico. Mestrado, doutorado e pós-doutorado são voltados para pessoas que desejam ser pesquisadoras ou dar aulas em universidades e faculdades.

Nessas 3 graduações stricto-sensu, o candidato deve ser aprovado pela instituição, que define os requisitos para aprovação. Currículo do estudante, proposta de projeto e prova dissertativa são comuns. E, nestes casos, saber um ou mais idiomas é requisito obrigatório nos currículos.

6 especializações que exigem inglês fluente

As especializações superiores são ofertadas por diversas instituições de ensino. Especialmente quando falamos das pós-graduações stricto-sensu, há uma série de requisitos estabelecidos previamente em um edital. Prova dissertativa, análise de currículo, análise da proposta de projeto e proficiência em idiomas são alguns comuns. 

Veja, a seguir, como a presença do inglês fluente é fundamental em cada uma das 6 especializações.

Especialização

Uma especialização é o aprofundamento em determinado campo de conhecimento. Esses programas costumam trabalhar com autores de diversas nacionalidades, considerando sempre os especialistas de cada área de atuação.

Por isso, se você deseja realizar esse curso sem dificuldades, deve ter inglês fluente ou, ao mesmo, ter um nível intermediário de inglês. Isso porque você terá mais possibilidades de fontes de aprendizado, que em muitos casos estão disponíveis apenas na língua inglesa. Artigos, livros e palestras em inglês são materiais comuns na especialização.

Além disso, podemos apontar que um profissional com inglês fluente na especialização abre muitas portas durante o curso. Afinal, está mais preparado para dialogar com estrangeiros com quem tenha contato, abrindo possibilidade de desenvolver uma carreira internacional.

Por fim, destacamos que alguns cursos de especialização também trazem como requisito o inglês fluente. 

MBA

Um mercado de trabalho tão competitivo quanto o do Brasil demanda dos profissionais um aprimoramento constante. Por isso, o MBA se tornou uma especialização superior presente como requisito em muitas vagas de emprego. Especialmente em empresas mais consolidadas e conhecidas no mercado, o MBA é o que possibilita a ascensão na carreira. 

Junto com ele, o inglês fluente no currículo também pode te dar ainda mais possibilidades. Mas o idioma já é fundamental no próprio MBA, uma vez que é uma ferramenta universal de comunicação. Além do acesso ao conhecimento de forma mais aprofundada, da mesma maneira que ocorre na especialização, o domínio do inglês é importante para construir uma rede de contatos com profissionais de empresas multinacionais.

Vale destacar também: muitas das melhores palestras do mundo corporativo que estão no YouTube e excelentes cursos gratuitos online de instituições de ensino internacionais são baseadas em inglês. Esses são materiais comuns em MBAs e especializações. Então, se você não tem inglês fluente, acaba ficando defasado.

Por este motivo, no MBA, o inglês é considerado um requisito obrigatório, e não só um diferencial. Diferencial, nesse caso, é saber mandarim. A fluência na língua inglesa é requisito no currículo do profissional que deseja fazer um curso de MBA.

Afinal, se você está em busca desse curso, deseja ter melhor posição no trabalho, certo? E como apontamos em outra oportunidade, o sucesso profissional anda de mãos dadas com o inglês fluente.

Mestrado acadêmico

Apontamos no início do texto que o inglês fluente facilita bastante a vida de quem deseja entrar nos programas de pós-graduação, seja stricto-sensu ou lato-sensu. É claro que você não deve ser um mestre no idioma, pois é possível sempre buscar o aprimoramento ao longo do curso. Mas facilita.

O ponto central nos programas stricto-sensu, como mestrado, doutorado e pós-doutorado, é que o inglês é cobrado já na etapa de seleção. No mestrado, o candidato deve indicar um idioma com o qual tem afinidade e para o qual fará uma prova de proficiência. 

Na prova, será preciso responder em português a algumas perguntas, em geral de interpretação de texto com gramática aplicada. Há também a possibilidade de ser exigido um resumo do texto, também em português.

Você poderá consultar dicionários e/ou gramáticas, mas deverá ser considerado proficiente (em geral, estabelecem que a proficiência é atingida com um desempenho igual ou superior a 70% da prova).

Em outras palavras, já na entrada do mestrado, você passará por um teste que identificará se você compreende a língua indicada no momento da inscrição. Por motivos óbvios, a maior parte dos interessados aponta o inglês, porque é a língua universal. 

E durante o curso? O aluno do mestrado deverá escrever e ler artigos científicos em inglês para publicá-los em revistas científicas internacionais. A bibliografia apontada na maior parte dos cursos também está escrita no idioma. E toda essa exigência se aplica também ao mestrado profissional.

Mestrado profissional

Se você nunca ouviu falar em mestrado profissional, não nos espantamos. Isso porque a modalidade foi regulamentada recentemente, pela Portaria MEC Nº 389/2017 e pela Portaria CAPES Nº 131/2017.

Já pontuamos que o mestrado não tem o mesmo objetivo da especialização, que é aprofundar conhecimentos em uma área para se tornar especialista.

O mestrado serve para continuar e aprofundar o estudo iniciado na graduação, em um campo específico de estudo. É recomendado para quem deseja lecionar ou pesquisar, se for um mestrado acadêmico. 

O mestrado profissional já é prático e voltado para o mercado de trabalho. Com duração média de dois anos, é voltado para a formação de profissionais com habilidades analíticas e domínio das teorias, mas com foco em uma visão prática e ampla da área de atuação. 

Enquanto no mestrado acadêmico o estudante se aprofunda em um tema para entregar e apresentar sua tese de mestrado, no mestrado profissional ele realiza um trabalho final do curso que aborda um problema enfrentado em sua área de atuação do profissional, que é a mesma do curso.

Para este mestrado, o inglês fluente mais adequado é o inglês instrumental, aplicado ao campo específico. Mas não se engane: de igual maneira, você deverá demonstrar sua aptidão de ler e interpretar os textos em outro idioma no processo seletivo do programa de mestrado.

Doutorado

Tudo que falamos até o momento sobre o acesso ao conhecimento publicado em inglês serve também para os cursos de doutorado. Neste caso, o peso do inglês fluente se torna ainda maior, porque um programa de doutorado é ainda mais exigente e específico. 

Por se tratar de um aprofundamento na pesquisa, você terá dificuldades em encontrar autores que abordem o assunto. Sem dúvidas, a maior parte deles terá publicações em inglês.

Uma pesquisa acadêmica de qualidade depende de conhecer o que existe de mais relevante no tema estudado, motivo pelo qual a revisão bibliográfica te exigirá uma visita às produções de autores estrangeiros. 

Outro ponto fundamental e que pode ser um empecilho logo no início é o processo seletivo no pós-doutorado. Não se exige somente um idioma, como no mestrado. Você precisará ter conhecimento em dois idiomas além do português.

A obrigação aparece não somente pela bibliografia utilizada, mas também pelas apresentações e escrita de artigos científicos para fora do Brasil e pela necessidade de publicações. 

Já pensou em se apresentar em um congresso internacional dentro do seu campo de atuação? Isso é algo bastante comum para alunos de mestrado e doutorado, mas uma atividade que depende diretamente de um inglês fluente. Afinal, você precisará se comunicar com pessoas de diversas nacionalidades e, mais uma vez, o inglês é a língua universal.

A grande vantagem disso é que será possível construir uma boa rede de contatos para debater seus estudos e trocar experiências. Sem dúvidas, o idioma não será uma barreira para seu sucesso.

Pós-doutorado

A pesquisa que você começou no doutorado será aprofundada no pós-doutorado. Você não precisará mais cursar disciplinas ou defender uma tese, já que o objetivo dessa especialização é resolver um tópico de forma mais aprofundada. 

Isso significa que o resultado do seu pós-doutorado será uma publicação mais madura. Certamente, se você quer atingir esse nível de especialização, ter liberdade para escolher as atividades, orientar os alunos, desenvolver ainda mais sua rede de contatos nacional ou internacional, o inglês fluente será seu aliado.

As atividades de palestrar no exterior e publicar artigos relevantes para o mundo inteiro serão apenas mais uma parte importante da caminhada.

 

O inglês fluente é determinante para o sucesso profissional de quem deseja realizar especializações superiores. Com esses cursos, você poderá aprimorar seu conhecimento e sua atuação, seja com pesquisa, docência, atuação profissional e orientada para o mercado.

A fluência no idioma abre portas em uma empresa, aumenta sua rede de contatos e permite que você faça parte da produção científica internacional. Por isso, mesmo se você já estudou inglês anteriormente, procure se aprimorar, porque esse aprendizado te acompanhará a vida toda!

Comentários: